Atualização: Segunda a Sexta-feira

Domingo estamos de plantão

As informações foram inseridas neste site no dia: 13/06/2019

[Imprimir está página]

[Dê a sua opinião]

[Comunicar erros]

 

 

Joelcy Jose Sá Lanzarini


Economista, especialista em finanças, mestre em desenvolvimento socioeconômico. Professor universitário nas áreas de finanças empresariais, mercado de capitais, elaboração e análise de projetos, matemática financeira, análise de investimentos, estrutura e análise de balanços, mercados agroindustriais e gestão de pequenas empresas.
Vasta experiência na área de Mercado de Capitais onde atuo como professor, investidor e estudioso da área, sendo que os trabalhos de conclusão de curso da graduação e da pós-graduação foram nesta área. Experiência em gestão administrativo-financeira em cooperativa de pequeno porte e consultor em empresas de pequeno porte.
Curso de aperfeiçoamento profissional em Cálculos Periciais, registrado junto ao CNPEF.

 


 

PANORAMA ECONÔMICO
Bom dia a todos os leitores do Portal Araras Virtual. Sou Joelcy José Sá Lanzarini, economista, mestre em desenvolvimento socioeconômico, especialista em finanças, professor universitário nas disciplinas financeiras e contábeis (matemática financeira, finanças empresariais, gestão contábil) e de investimentos (análise de investimentos e mercado de capitais).
A partir desta data estarei publicando quinzenalmente na coluna de ECONOMIA. Os temas serão os mais variados possíveis, desde que sejam atuais e de interesse público. Na primeira parte faremos um release sobre as principais discussões e acontecimentos sobre economia mundial, economia nacional e também regional.
Na segunda parte trataremos de educação financeira, finanças e investimentos. Na última parte traremos dicas de investimentos atualizadas com indicação de onde e como investir com maior rentabilidade e segurança o seu dinheiro.
Antecipadamente convido a todos que prestigiem quinzenalmente nossa coluna. Muito obrigado.
- O crescimento da economia mundial segundo o Banco Mundial deve ficar na faixa dos 2,6% em 2019. A estimativa foi rebaixada devido ao fraco desempenho de alguns países europeus e da diminuição do ritmo Chinês.


- Já no Brasil, a previsão de crescimento do PIB foi revista pelo Banco Mundial, passando de 2,3% em janeiro para 1,5% em maio. Com a variação do PIB do primeiro trimestre de 2019 ficando em -0,2% já dá sinais que a economia está estagnada.


- Segundo a Gerente de Contas Nacionais do IBGE, Cláudia Dionísio, este resultado vem em função da queda de -0,7% no setor industrial e -0,5% na agropecuária. A queda do setor industrial deu-se muito em função da queda na indústria extrativa com -6,3%, impactadas pelas paralisações e diminuição da atividade extrativa da Vale após o desastre de Brumadinho, que deverá impactar negativamente o PIB de 2019 em -0,3%.


- Para os analistas de mercado, enquanto não forem votadas as reformas necessárias e a não for reestabelecida a confiança entre Governo, empresários e sociedade civil, não haverá retomada do crescimento econômico.


- A balança comercial brasileira, apesar de tudo, continua com saldo positivo de 22,8 bilhões de dólares no acumulado de janeiro a maio. O número é 6,8% menor que o acumulado no mesmo período do ano de 2018.


- A inflação acumulada pelo IPCA nos de janeiro a maio está em 2,22% enquanto que nos últimos 12 meses acumula 4,66% ficando ligeiramente acima do centro da meta estipulada pelo Banco Central do Brasil que é de 4,25% ao ano, com previsão de regredir até 4,2% até o final do ano.


- Dos 9 grupos de produtos e serviços pesquisados 4 tiveram queda de preços, sendo que Alimentação e Bebidas tiveram queda de -0,56% e artigos para residência tiveram queda de -0,1%. Habitação com +0,98%, Saúde e cuidados especiais com +0,59% e Vestuário com 0,34% foram os grupos que apresentaram as maiores altas. Individualmente os itens que mais pressionaram os preços em maio foram gasolina e energia elétrica.


- Com a queda de 0,2% no PIB no primeiro trimestre de 2019 e com a inflação rumando para o teto da meta, já há rumores no mercado que o COPOM – Comitê de Política Monetária – possa baixar a taxa SELIC na próxima reunião do comitê que ocorrerá nos dias 18 e 19 de junho. A taxa SELIC tem influência em praticamente todas as taxas aplicadas na economia do país.


- Na Região de Araras a safra de cana continua a todo vapor. Conforme relatório do CEPEA, em função do preço e da sobreoferta de açúcar no mercado mundial, as indústrias paulistas estão direcionando 61,76% do total processado para produção de etanol contra 38,24% para a produção do açúcar.


FINANÇAS PESSOAIS E MERCADO FINANCEIRO
- A grande dúvida de todos os poupadores é sempre a mesma: EM QUE INVESTIR?

- Antes de investir devemos buscar algumas informações sobre o investimento pretendido.
 

- A primeira informação a buscar é se o investimento pretendido tem cobertura do FGC - Fundo Garantidor de Crédito, o qual dá cobertura de até R$ 250.000,00 por CPF por instituição financeira ou conglomerado financeiro, até o limite de R$ 1.000.000,00 em contas entre todas as demais instituições. Dúvidas sobre o FGC, clique no link https://www.fgc.org.br/ para maior detalhamento.
 

- A segunda informação deve ser sobre o prazo de investimento. Alguns investimentos permitem resgate a qualquer momento, outros só permitem o resgate na data do vencimento. Analise bem, pois isso pode se transformar em uma dor de cabeça na hora que você precisar do dinheiro.
 

A terceira informação, deve ser sobre a rentabilidade do ativo desejado. Veja se a taxa ofertada é líquida ou bruta. Se for bruta tem que descontar imposto de renda e isso pode significar de 22,5% a 15% dos ganhos obtidos.
 

A quarta informação é diversificar as fontes de remuneração do capital investido. Compre alguns ativos indexado em CDI, outros indexados em inflação mais um percentual de ganho real, outros indexados em taxa SELIC e outros ainda indexados em variação cambial. Assim não estará correndo risco em apenas um tipo de remuneração.
Depois de respondidas estas perguntas, você já tem condições de comparar entre os investimentos oferecidos, para ver qual deles apresenta as melhores condições de investimento para o seu perfil. Bons investimentos a todos.

- A Bolsa de Valores vem apresentando comportamento bipolar, mantendo-se em consolidação entre os 90 e 100 mil pontos devido às incertezas quanto as reformas necessárias para o crescimento da economia. O mercado precifica tudo o que acontece.



DICAS SOBRE INVESTIMENTOS E RENTABILIDADE
- A caderneta de poupança tem seu rendimento atrelado à taxa de juros SELIC. Quando a SELIC estiver acima de 8,5% ao ano, a caderneta de poupança pagará 0,5% ao mês + a TR (Taxa Referencial) que está em 0% desde há algum tempo.
- Quando a SELIC estiver abaixo de 8,5% ao ano, pagará 70% deste valor. Hoje a SELIC está em 6,5% ao ano e a tendência é que seja baixada par 6% ao ano na próxima reunião do COPOM. Isso significa que a poupança rende hoje 4,55% ao ano aproximadamente. Em contrapartida, a inflação anualizada está no momento em 4,66%.
- Então, quando aplicamos nossas reservas em caderneta de poupança, na maioria das vezes não conseguimos sequer repor a desvalorização do dinheiro causada pela inflação.
- Para quem pensa em aplicar suas reservas em algo diferente, o Tesouro Direto apresentou em maio uma excelente rentabilidade.

Veja mais no link https://www.infomoney.com.br/onde-investir/noticia/8363338/retorno-do-tesouro-direto-supera-ibovespa-e-cdi-em-maio.


Por isso, devemos tomar cuidado e pesquisar outras formas de investimentos.

Na próxima publicação passarei algumas alternativas de investimentos mais rentáveis. Abraço a todos.
 

Participe de nossa enquete:

No mercado existem diversas opções de investimentos. Em qual delas você costuma investir seu dinheiro?
Poupança
CDB, RDB
LCI ou LCA
Fundos de investimentos
Dólar
Ouro
Imóveis
Ações


 

 

 

 

[Imprimir está página]

[Dê a sua opinião]

[Comunicar erros]

   

 Must See Places In Paris